quarta-feira, 30 de setembro de 2015

RESENHA: O PESO DAS LEMBRANÇAS


Fala Galera: Como eu havia mencionado numa postagem anterior, começo hoje as resenhas que abordam a fase de John Byrne enquanto escritor e desenhista da mensal do Golias Esmeralda.


A estreia de Byrne se deu em The Incredible Hulk 314, a narrativa se passa logo após o retorno do Hulk da encruzilha dimensional e foi dividida em três capítulos, a saber, o Chamado do deserto, Arrependimentos e  inimigos do passado, tudo isso em apenas vinte e duas páginas.

John Byrne estava em um nível criativo espantoso na época que a história foi publicada, rapidamente o leitor percebe que o ritmo da história é muito bom, tudo ocorre muito depressa, os personagens são bem apresentados e utilizados e cada detalhe é muito bem amarrado tornando à narrativa muito coesa.


Se a pessoa nunca tivesse lido uma história do Hulk na vida não seria problema, pois o autor conta uma breve origem do Hulk e dá breves explicações do que está acontecendo com o personagem.


A temática usada na edição de estreia são as lembranças, tudo está centralizado em memórias, o Hulk vai para o deserto por ser lembrar que lá é seu lar, o Doutor Samson pensa que sempre falhou com Banner e não quer errar novamente, os inimigos do passado se apresentam para tirar a paz do Hulk.

Nisso o Hulk enfrenta três batalhas, uma contra Banner que quer exercer algum tipo de domínio sobre o Golias Esmeralda, uma contra os fantasmas do passado e uma contra o Doutor Samson.


Tudo isso foi muito bem apresentado por Byrne, no final Samson consegue nocautear o Hulk, mas o autor deixa bem claro que isso só aconteceu porque Banner ajudou, caso contrário Samson jamais teria sucesso em sua empreitada.

Quanto à arte, o que dizer o traço de John Byrne? O cara é espetacular, cada painel é de um capricho fantástico, as cenas de lutas são sensacionais e o Hulk tem expressões realmente de um monstro enfurecido.


The Incredible Hulk 314 foi publicado nos Estados Unidos em Dezembro de 1985 e no Brasil na revista O Incrível Hulk 67 de Janeiro de 1989. Fica sempre a esperança da Panini publicar um encadernado desse material que com certeza venderia muito.

Quer ler uma história do Hulk bem construída? Cheia de ação? Com um roteiro dinâmico e bem elaborado? Leia a fase do Hulk de John Byrne que vale muito a pena.

Nota 9,0!

Até a próxima!


2 comentários:

  1. Realmente muito bom!! Nos próximos números John Byrne ainda receberia a assistência De Keith Willians na arte-final, deixando seu trabalho ainda melhor e mais solto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena que ele se desentendeu com a Marvel e isso deixou sua passagem pelo Hulk muito curta.

      Excluir