terça-feira, 7 de abril de 2015

O TRABALHO FEITO PELOS ROTEIRISTAS DO HULK NOS ÚLTIMOS ANOS (SEGUNDA PARTE)


Fala Galera! Em texto anterior (que você pode conferir clicando aqui) foi abordado o trabalho de Greg Pak e Jeph Loeb na mensal do Hulk, agora é o momento de tecer algumas considerações a respeito do Golias Esmeralda de Jason Aaron e Mark Waid.

Jason Aaron


Jason Aaron assumiu a mensal do Hulk após Greg Pak deixar o título. Aaron tinha uma proposta bem simples, ele queria contar uma história do Hulk e ele fez isso em dezesseis edições.

Ele começou mostrando o Hulk separado de Banner e terminou com ambos unidos, de certa forma a mensagem de Aaron era: “O Hulk e o Banner precisam parar de brigar entre si e caminharem unidos, se eles fizerem isso atingirão um potencial jamais visto”.


Com diálogos bem elaborados e histórias bem amarradas Aaron mostrou que se quisesse o Hulk teria matado  Banner quando eles foram separados e Banner poderia ter matado o Hulk quando eles foram re-unidos novamente.

Aaron inseriu o Mad Squad, Amanda Von Doom é uma personagem fascinante, a loucura e obsessão de Banner foram muito bem abordadas, o combate entre o Hulk e Banner foi empolgante, o arco final chama muito a atenção, pois a forma como ele mostrou a bagunça que existe na mente de Banner é assustador.


Entretanto, nem tudo o que Aaron fez foi bacana, o arco Stay Angry foi fraco, das cinco histórias apenas duas foram interessantes, as outras histórias com cachorro traficante falando, meninos perdidos no espaço e o Kraven doido para morrer não fluíram como deveriam.

Por outro lado, o restante do trabalho é digno de elogios e Jason Aaron conseguiu alcançar sua meta, não tinha ele o objetivo de passar um período curto no título e oferecer uma narrativa que apontasse novas perspectivas para o personagem e isso ele fez bem.

Mark Waid


Mark Waid assumiu a mensal do Hulk logo após o evento Vingadores vs X-men. Diferente de Aaron ele centrou o seu trabalho na pessoa de Bruce Banner, queria ele mostrar que Bruce estava de saco cheio de dar murro em ponta de faca e que queria mudar de vida.

Durante vinte edições em Indestrutível Hulk e quatro edições em Hulk, Waid mostrou que Banner e o Hulk podem sim fazer muita diferença, cada um a seu modo, onde a força bruta era necessária o Golias Esmeralda marcaria presença, quando se trata de inteligência Bruce Banner assume.


Ele mostrou um Bruce determinado a melhorar o mundo, trabalhando para a Shield ele sabia que poderia dar sua contribuição para que o planeta fosse um lugar melhor, conseguiu dinheiro, estrutura, uma equipe de assistentes e começou a desenvolver projetos diferenciados.

Waid mostrou que nada poderia parar um Banner motivado, que ele poderia ser melhor aproveitado como personagem, ou seja, chega de sofrer, vamos fazer algo que vale a pena. Seu Hulk é extremamente poderoso, para ser mais exato Indestrutível.


Ele quase matou Banner, inseriu o Extremis na mente do bom Doutor, o Hulk se tornou inteligente (vide Original Sin: Hulk vs Iron Man), começou a construir uma trama de conspiração muito interessante e repentinamente a Marvel tirou Waid do título.

Quem lê o Hulk de Mark Waid percebe que ele tinha um projeto a longo prazo para o personagem, as histórias estavam ganhando uma dimensão crescente.

Considerações Finais

Jason Aaron e Mark Waid deram uma boa contribuição para a cronologia do Hulk, Aaron com uma narrativa mais intensa, pois não tinha ele um planejamento a longo prazo. Como mencionado acima, não foi tudo perfeito, mas vale a pena a ler o texto de Aaron mais de uma vez.

Waid tem uma capacidade impressionante de desenvolver os personagens, ele trabalha num ritmo mais lento, procura expandir as possibilidades aos poucos, seu trabalho é crescente, mas ele não conseguiu abranger os assuntos como poderia, pois a Marvel tirou ele do título.


Por isso toda a vez que o Hulk de Waid for lido, o fã terá a sensação de que o trabalho foi interrompido e que ainda precisa de conclusão.

Até a próxima!

2 comentários:

  1. A do Mark Waid me deixou com um pé atrás, na verdade, com os dois, ainda não a li.

    ResponderExcluir